3 alunos do Projeto Social atualmente fazem parte do Royal Ballet, em Londres

Em 2017, conseguimos encaminhar mais um aluno para uma das maiores e mais completas escolas de dança do mundo.

Cobiçada por bailarinos do mundo inteiro, a Royal Ballet School é um sonho para poucos. Conseguir uma vaga lá dentro é mais difícil do que passar para o vestibular de medicina da UERJ. É necessário qualidades físicas e técnicas específicas, além de expressão artística, comprometimento e responsabilidade.

Em 2010 e 2013, as alunas da Petite Danse, Mayara Magri e Letícia Dias, chamaram atenção no Festival de Dança “Prix de Lausanne”, na Suiça e conseguiram uma bolsa de estudos (100% gratuita) para estudar na Escola e, assim que se formaram, foram convidadas a ingressar na Companhia Profissional Royal Ballet, onde trabalham até os dias atuais.

No ano passado, foi a vez do Denilson Almeida, que iniciou ballet na Petite Danse aos 8 anos de idade e aos 16, também participou do Prix de Lausanne, onde conseguiu uma bolsa para ingressar no Royal Ballet School. Além das aulas de dança com os melhores profissionais do mundo, eles oferecem estudo escolar, aulas de inglês, alimentação, musculação, pilates e moradia para os alunos aprovados de outro país. É ou não é um grande sonho?!